segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dia 6 - Tudo tranquilo

Seis dias volvidos e eis que não há relato de tremuras,  surtos psicóticos ou qualquer outro sintoma de privação. Tão pouco me parece que haja sinal de qualquer recaída! Resultados? Um livro terminado, outro iniciado e muitas horas de descanso! Melhor, escapei aos resultados das eleições brasileiras. Já me basta a miséria que é a política em Portugal. (Não que não me importe com o rumo do Brasil; os amigos brasileiros saberão!).

Assim que o fim-de-semana foi de praia, de gulosices e de muita tranquilidade.

sábado, 25 de outubro de 2014



Fui ver ontem ao cinema! Atribuí a pontuação 8/10 no IMDB embora até considere que vale mais uns pontinhos. Se achamos que o enredo se "topa" desde o início, a acção mostra que nos vamos sucessivamente enganando, até chegar a um fim inesperado; não é a surpresa pela surpresa. Diria mais, incredulidade. é umb om filme, sem dúvida. 

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ai Portugal, Portugal...de que é que tu estás à espera?

Um dos grandes temas muito abordado por mim na minha extinta conta de Facebook era o estado do nosso Portugal (leia-se "estado de sítio"!). Isto porque não consigo entender o que se passa com este povo! Não entendo esta indiferença, este deixa andar! Não entendo este adormecimento enquanto nos roubam e nos empobrecem. Não entendo como tanto se rouba e sempre se fica impune. Não entendo como se abafam verdadeiros escândalos! Não entendo como há memórias tão curtas relativamente ao percurso histórico e político deste país. Não entendo como se defendem corruptos, ladrões, neo-liberais, fascistas e capitalistas.
Eu acredito numa sociedade mais justa, sem explorados, onde todos possamos viver com dignidade pela força do nosso trabalho.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

A ler...
"Quando pensamos num livro juvenil, é difícil aceitarmos que estamos perante um clássico da literatura portuguesa do século XX... e, muito menos, perante o maior exemplo do neo-realismo, literatura de combate, nascida da oposição ao Estado Novo. Soeiro Pereira Gomes conseguiu que o aceitássemos e que o continuemos a aceitar com os seus "Esteiros". Arrancando das entranhas do Ribatejo a crueldade e a dureza das vidas de um grupo de crianças operárias, Soeiro deu-nos um retrato único da ternura, da simples (e barata) alegria de ter uma infância, porque, mesmo quando o mundo os tenta matar, os sonhos ainda existem. Maquineta, Gaitinhas, Sagui e Gineto são apenas alguns destes meninos que têm na recolha do barro e na sua prensagem em telhas o ganha-pão e o ganha-trocos para a visão que é um carrossel. Por entre aventuras pueris e as cheias do Tejo, que tudo levam à frente e que desgarram as vidas de quem a ele está ligado, surge a crítica social e o tom paternalista que quer conduzir o povo à liberdade através do comunismo.
Alhandra está marcada pela passagem do Tejo. Nós ficamos marcados pelas histórias destes meninos que Soeiro trouxe dos Telhais." (Resenha retirada de http://www.rtp.pt/programa/tv/p26944/e2)


Dia 1

Fui à minha habitual e revigorante aula de Zumba e, no final, em conversa porcausa de um evento, alguém disse "Está no Facebook" ao que eu, orgulhosamente respondi: "Não tenho Facebook!". E aí percebi que "a cena" agora é essa!
Desde cedo que a minha personalidade se pautou muito por não ir na corrente, não gostar do chamado "mainstream". Não por birra, mas por intuição! Seja no modo de vestir, na música que se ouve, nos sítios onde se vai...
Confesso que, ao verbalizar pela primeira a minha renúncia, uma faiscazinha acendeu-se no meu ego!

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Porque a sétima arte é uma outra paixão!

Partilho aqui a minha lista IMDB de filmes vistos e pontuação atribuída. Iniciei este registo há 2 anos e 9 meses (registo do IMDB) pelo que, muitos filmes anteriormente vistos não estão aqui registados. Julgo, no entanto, que os que mais me marcaram estarão referenciados.

Ao momento, estou com curiosidade em ver o novo filme de François Ozon "Un nouvelle amie". Julgo que não estreou em Portugal e creio não haver ainda uma previsão para tal.

Un nouvelle amie

Não há um dia sem...

Uma das minhas grandes paixões é, indiscutivelmente, música! Como vi recentemente num filme muito interessante que coloca em perspectiva a dimensão humana face à utilização das redes sociais - Disconnect, o meu gosto musical vai "de Sigur Rós a Radiohead", mas passa ainda por muitos outros. Da world music à clássica, do eletro aos blues, etc.. Certo é que na minha vida não há dias sem música!

Uma vez que, agora sem conta de Facebook, não posso exprimir os meus estados de espírito via música, criei esta página para partilhar vídeos, novidades e tudo o mais relacionado com a música de que gosto.
Comentários e sugestões são muito bem-vindos!


Segue aqui o primeiro post. Ouvi no fim de semana e deu-me uma certa nostalgia. O Sr. Camaleão muito me encheu os ouvidos em tempos mais idos. Mas é e será sempre um prazer!


Dia 0

Hoje é o meu primeiro dia oficial sem Facebook! Foram muitas as horas ali gastas desde 2009 até ao dia de ontem. Acontece que me cansou, essencialmente, o espírito. Por minha culpa admito. Primeiro por ser quem sou e depois pela utilização que lhe dei. Cansei de estar voluntariamente exposta a tanta ignorância e cegueira, principalmente de tantos que me são relativamente próximos. O Facebook é, e muito, um espelho muito fiel de um mundo que se torna de dia para dia mais consumista, mais plástico, mais hipócrita. Também tinha os seus benefícios, claro. Ou na divulgação de acções de solidariedade, ou na divulgação e conhecimento de música, tema muito sensível para mim, notícias do mundo e do país (sim, porque em quinhentos e muitos "amigos" felizmente alguns partilham uma visão do mundo um pouquinho mais parecida com a minha!), eventos, etc.. Mas tudo isso se consegue saber se se quiser! No tempo em que não havia Facebook acho que éramos todos mais livres e felizes (analogia a uma época menos tecnológica e mais humana).

Bem, acontece que para já não senti praticamente falta do Facebook. Acho que já vinha fazendo um certo desmame há já alguns dias. O que ganhei com esta decisão? Passo menos horas no computador, entre trabalho e casa. O que também significa menos horas sentada.
Ontem por exemplo, li bastante e pus algumas coisas que precisava em dia. E melhor ainda: não me aborreci voluntariamente. Já sei que o problema está em mim! Mas não consigo nem acho que deva ser alheia ao que se passa à minha volta!

Bom, adiante. A maior perda? O Candy Crush! Sim, porque posso parecer, às vezes, o Velho do Restelo a falar mas também gosto de brincar e de usar estas coisas! Acontece que a app que tinha instalada no telemóvel começou a crashar julgo que por estar anteriormente ligada à minha conta FB que deixou de existir. Então tive de o reinstalar...e lá comecei do zero! Quase 150 níveis ao ar... tenho muito com que me entreter, portanto!