segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Dos refugiados

Para mim é uma questão humanitária, são pessoas que precisam de ajuda, ponto final. Além do mais não se trata de uma escolha! Trata-se de cumprir leis da UE que regulamentam o asilo e às quais nós estamos obrigados. Não temo pelo meu umbigo como muitos fachos da velha guarda e demais ignorantes! Contudo tenho uma ressalva a fazer. O Governo deverá acompanhar estas pessoas. Criar um mecanismo de apoio à integração. Por um lado estaremos a ajudá-los, por outro, caso haja alguém com outras intenções (que, não sejamos hipócritas pode acontecer, claro! Não tínhamos uma célula Etarra altamente instalada e integrada em Portugal??? Não sejamos falsos ingénuos!), mais facilmente será identificado. Depois é preciso mais dar-lhes condições para começarem qualquer coisa, principalmente àqueles que vão para terriolas onde mais ninguém quer viver! Estava tudo muito inflamado porque tinham dado casas em Penela.. eu gostava de saber quantos desses nervosinhos iria viver para Penela! Alguns factos:
- Entre 1991 e 2001, houve um decréscimo dos efectivos populacionais no valor de -4,7%. Nos censos 2011 registou-se a continuidade desta tendência.
- Em 2001, 377 idosos moravam sós e existiam 1134 famílias constituídas por elementos com 65 e + anos.
- Dos 6451 residentes no concelho, 27 não possuem ainda electricidade no seu domicílio.
- Existem ainda, 33 moradores sem água canalizada no alojamento ou no edifício.
- Concelho de Penela é muito significativo o número de pessoas residentes que não possuem instalação de banho e de duche no seu domicílio (601).
- a população economicamente activa representa no seu total 39% da população do concelho enquanto que a população não activa regista um valor de 61% do total.
- Em 2003, foram deferidos 132 processos de rendimento mínimo garantido. Quanto à idade dos beneficiários, os escalões com números mais significativos são: o de menos de 24 anos e o dos 55 ou mais anos, sendo os mais jovens e os mais idosos que requerem esta prestação.
E podia continuar por aqui fora! Agora é tudo muito patriótico mas por exemplo nas últimas eleições legislativas a abstenção foi de mais de 50%. Não me lembro de ver tantos indignados com os Salgados desta vida e submarinos e vistos Gold! Ganhem vergonha e insurjam-se contra quem devem.
Falta-me fazer outra ressalva. Não adianta dar-lhes um tecto e um subsídio que não dá para nada, despejá-los numa Penela ou numa Covilhã e limpar as mãos. Lembram-se há uns anos quando repovoaram aldeias abandonadas no meio do nada com imigrantes brasileiros e de leste, julgo? Tempos depois aquela gente nem de comer tinha! Estavam isolados, queriam voltar para os seus países e não tinham sequer meios para isso.
Bem, para terminar porque acho que já estamos todos fartos desta saga, acho que daqui a tempos os refugiados já cá estão nas suas vidas e ninguém se vai lembrar ou dar por eles. O meu coração humano que não é católico ou de qualquer outra religião mas que foi educado a importar-se com o vizinho do lado deseja que todos encontrem a paz que necessitam para terem uma vida digna.

Sem comentários:

Enviar um comentário